EUA investigam uso de IA para imitar voz de Biden em ligações falsas

Chamadas usavam voz de Biden gerada por IA para pedir aos democratas de New Hampshire que não votassem nas primárias do partido no estado

As autoridades dos Estados Unidos abriram uma investigação para apurar o uso de inteligência artificial para imitar a voz do presidente Joe Biden em ligações automáticas. As chamadas continham uma mensagem atribuída ao político e que pedia para que os eleitores democratas do estado de New Hampshire não votassem nas primárias do partido, marcadas para esta terça-feira (23).

Os temores do uso político da IA

De acordo com o gabinete do procurador-geral do estado de New Hampshire, as gravações diziam: “seu voto faz diferença em novembro, não nesta terça-feira”. Elas teriam sido manipuladas para parecer que foram enviadas por um funcionário de um comitê democrata.

Ainda de acordo com as autoridades norte-americanas, “essas mensagens parecem ser uma tentativa ilegal de interromper a eleição primária presidencial de New Hampshire”.

Este é o mais recente caso envolvendo o uso da IA para fins políticos. Especialistas alertam que a tecnologia pode aumentar a desinformação, especialmente durante o período eleitoral dos EUA.

No ano passado, o Comitê Nacional Republicano usou a inteligência artificial para gerar um vídeo com imagens de cenários apocalípticos depois que Biden anunciou sua candidatura à reeleição. Já o governador da Flórida, Ron DeSantis, postou imagens falsas do ex-presidente Donald Trump, que concorria com ele na disputa republicana.

Legisladores dos EUA estão correndo contra o tempo para tentar regular o conteúdo político produzido por IA, que já foi usada em eleições estrangeiras apertadas para enganar os eleitores. Segundo analistas, a tendência é que a situação só piore em função da proximidade das eleições e da divisão política norte-americana.

Eleições nos Estados Unidos

  • As primárias do Partido Democrata, assim como a do Republicano, são processo eleitorais para a definição dos candidatos à disputa da Casa Branca.
  • O não comparecimento às urnas em New Hampshire, como o pretendido pelas mensagens falsas atribuídas ao atual presidente, poderiam prejudicar a vitória do próprio Biden na tentativa da reeleição.
  • Todos os estados norte-americanos realizarão disputas primárias para confirmar os nomes dos candidatos à presidência do país.
  • A projeção é que a corrida eleitoral seja, mais uma vez, entre Biden e Trump.
  • O ex-presidente já venceu as primárias republicanas no estado de Iowa por larga vantagem.
  • As eleições nos EUA estão marcadas para novembro de 2024.

As informações são do The New York Times.

Está gostando do conteúdo? Compartilhe!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *